quinta-feira, 14 de abril de 2011

VAIDADE

Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade. (Eclesiastes 1:2)

                                                                              

Busco na vida tantas coisas
Que nem sei por que razão
Eu fortaleço minha vontade pra que tudo aconteça
do meu jeito
Corro enquanto acredito, persisto até chegar ao fim
Pra descobrir, lá no final, que eu corri atrás do vento
O que eu preciso, os homens não podem dar
O que eu preciso, a prata não vai comprar
O que eu preciso, o mundo não pode dar
O que eu preciso, é habitar contigo, ó Deus!
Atraia-me, para perto de Ti
Esconda-me, ó Deus!

Esconda-me Senhor
Esconda-me do pecado
Esconda-me deste mundo