terça-feira, 13 de janeiro de 2015

INCREDULIDADE NO FOGÃO

Eu, aqui, depois de dois meses, após me recuperar de uma mega virose que quase levou embora minhas forças e minhas plaquetas, em frente a um fogão velho, numa mistura de murmuração, correção e fé, crendo que uma deliciosa refeição iria preparar. Enquanto o velho forno aquecia, peguei um caderno e caneta que ali estavam, e rabisquei em algumas linhas o que observei em alguns momentos, e que chamo de "Incredulidade no fogão."

Encontro alguém lá fora que diz: "Eu também já fui assim", e que dá 10 mil motivos por não enxergar as coisas como antes. É como um fogão que com o passar do tempo as chamas já estão tão fracas, que se quer aquecem o fundo da panela.
 

Depois encontro outras pessoas que fazem um lugar sujo parecer bom. Um lugar que algum tempo atrás seria o último lugar que se encontrariam, ou que desejariam estar. Mas, hoje parece ser tão normal ou limpo. Inacreditável!

Algo parecido acontece em nossas vidas quando deixamos a gordura ir acumulando e entupindo as saídas das chamas. Uma coisa é certa, nenhum fogão (nem o novo) irá funcionar perfeitamente, se permitirmos que a gordura saturada ou a água indevida continue a se derramar. Logo acreditaremos que é o velho fogão que já não presta mais, quando o problema está bem na válvula central, no nosso coração, na nossa alma, infectado pela incredulidade, essa que não permite que apliquemos o que já sabemos.

Tem uma agulha de limpar fogão aí?
É hora de limpar as saídas do coração e não deixar ser contagiado pela saturação.
"Corrias tão bem; quem te impediu, para que não sigas à (receita) verdade?" Gálatas 5:7

O incrédulo é o mais cansado de todos, apesar de estar de braços cruzados, e diz que a culpa é do fogão antigo. Ele distorce tudo, pois sua visão é embaçada de gordura. Ele não deixa o bolo crescer, coloca a culpa no antigo fogão, leva o bolo para outro forno e sabe o que acontece? Embatuma.

Eu confesso que não gosto muito de seguir receita, e quem me conhece sabe que gosto de dar aquela incrementada, mas quando estamos tratando das coisas de Deus, o melhor é seguir a risca a receita, ou seja, o nosso perfeito manual de vida, para não errar, para não embatumar. Depois não adianta ficar colocando a culpa no fermento, na receita, no fogão.

Não podemos achar que já decoramos a receita da sabedoria, pois sabedoria não se decora, mas dia após dia passamos a adquiri-la na humildade de ouvir.

"E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem aos meus mestres inclinei o meu ouvido!" Provérbios 5:13
"Contudo, eles não me ouviram nem me deram atenção; foram obstinados e não quiseram ouvir nem aceitar a correção." 
Jeremias 17:23

Jackeline Matos
jackelinematos.blogspot.com.br

"Para publicar com voz de louvor, e compartilhar todas as Tuas maravilhas." Salmos 26:7