quinta-feira, 20 de julho de 2017

O EVANGELHO É FÁCIL OU DIFÍCIL?

Por esses dias, ao passar por um canal da tv, vi uma pessoa bastante influente dando resposta para alguém que tinha falado da sua “igreja cheia”, e para minha surpresa a resposta foi a seguinte: “Se a minha igreja está cheia, é porque eu prego o evangelho fácil sim! Pois o evangelho é fácil, e o motivo de você talvez estar com sua igreja vazia é porque talvez na sua igreja matam os crentes todos os cultos, pregando um “evangelho difícil ”, pois se temos a graça então o evangelho é fácil. Não convém pregar um evangelho pesado, doloroso, difícil, pois o evangelho é fácil sim!”

 A questão não é a “igreja cheia” ou “matar os crentes”, eu consegui entender o foco de ambos os lados, e está em o que tem motivado a igreja estar cheia ou vazia. Será se temos oferecido banquetes ilusórios onde a alma já está morta mas o corpo está bem servido até mesmo dentro da igreja? Ou será que estamos com o "Ego da santidade" super alimentado e o restante não importa?

Não podemos confundir EVANGELHO com DOUTRINAS DE HOMENS, sabemos que há doutrinas pesadas e difíceis, mais isso não tem nada a ver com ir e pregar o Evangelho. Vemos em Mateus 23, Jesus declarando diretamente ao chamar os falsos profetas de raças de víboras, pois lançavam fardos pesados que nem eles mesmos estavam dispostos a carregar. Isso sim, se chama doutrina de homens.

Independente da igreja estar cheia ou não, números não deve ser o foco. Para complementar esse assunto, essa semana meu esposo encontrou um pastor que não víamos a muito tempo, e ele falou o seguinte, “Nesses tempos em que as igrejas vivem a maior preocupação de estarem cheias, a minha preocupação é de pregar o Evangelho tal como ele é, as pessoas querendo ficar ou não, vou pregar o Evangelho.” E isso tem que ser dentro ou fora da igreja, nas ruas ou nas diversas oportunidades que temos de pregar o Evangelho.

Agora me admira alguém dizer que prega e vive um “Evangelho Fácil”, logo quem mais tem responsabilidade a frente da igreja, onde a palavra trata com tanto zelo quando diz: “Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas...” (Heb 13:17) O Evangelho fácil traz um ganho (em todas as áreas) fácil, pois é diferente do comportamento de quando Jesus envia os discípulos para pregar o reino de Deus e curar os enfermos,  Ele diz: “Nada leveis convosco para o caminho, nem pão, nem dinheiro; nem tenhais duas túnicas.” (Lucas 9:3).

Fácil?

Analisando esse adjetivo “fácil” dado ao Evangelho, não tem como não se surpreender, como Paulo mesmo falou: “Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo do céu pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! Acaso busco eu agora a aprovação dos homens ou a de Deus? Ou estou tentando agradar a homens? Se eu ainda estivesse procurando agradar a homens, não seria servo de Cristo. (Gálatas 1 : 6-10).

Aí está a resposta!

Igreja, precisamos tomar cuidado, mas muito cuidado mesmo, para que não venhamos dar nosso jeitinho, tentando “facilitar a vivencia do Evangelho” só para que as igrejas “permanecem cheias”. Precisa ser pregado a graça e naquilo que o Evangelho consiste por completo, que é de preparar uma igreja santa para se encontrar com Jesus. É por isso que o evangelho é a carta de amor do pai para nós, o tempo todo nos advertindo, nos exortando, corrigindo, apontando o pecado, tocando nas nossas feridas, sem rodeios, sem fantasias. Não é por ser fácil ou difícil, mas sim porque confronta com nossa carne pecaminosa.

O Evangelho decorre o tempo todo dessa forma, comece a perceber... pregações, até instantes antes de Jesus, João Batista já trazia a palavra diretamente exortando: “Arrependam-se, porque o Reino dos céus está próximo. Preparai o caminho... Dêem fruto que mostre o arrependimento! ” (Mateus 3:2-3, 7-8).
 
Quando passamos a enxergar e a discernir o Evangelho, começamos a dar novos passos em novas direções, e somos muitas vezes tentados, assim como o próprio Senhor Jesus foi, antes mesmo de começar a levar as boas novas ele foi tentado no deserto. Para Ele não foi nada fácil, assim como para os discípulos também não foi, pois a vida de cada um denuncia as dificuldades, rejeições, abandono e perseguições para viver e pregar o Evangelho, como por exemplo Paulo, umas das histórias mais lindas de conversão, de alguém que perseguia a Cristo e a igreja, e foi alcançado pela graça, assim passou a viver e levar o Evangelho em meio a tantas adversidades. 


Fácil?

Eu entendo que o preço que Jesus pagou foi o motivo pelo qual hoje somos livres, e temos essa facilidade de podermos ter acesso direto a Deus, e é muito simples, basta aceitamos Jesus como nosso Ùnico e Suficiente Salvador. Mas não posso mentir, e dizer que abrir mão das minhas vontades é fácil, que a porta estreita é fácil, que carregar a cruz diariamente é fácil, que andar na contramão do mundo é fácil, pois não é mesmo! Hoje vejo como um privilégio me vendo fazer todas essas escolhas. Mas como somos carne, sempre vem o pecado batendo a porta. Ufa! E como é difícil!!! Mas eu sei que para conquistarmos o céu depende de nossa força (espiritualmente falando) como diz Jesus: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele.” (Mateus 11:12) Para você ter força é necessário muito treino, e não é fácil, são muitas gotas de suor!

"Vocês não sabem que dentre todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio.Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar. Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado." (1 Coríntios 9:24-27 ).

Fácil?


Eu só compartilhei esse assunto, pois tudo que vi e ouvi me fez refleti de uma forma diferente sobre o Evangelho. 
Precisamos rever como temos tratado o Evangelho, o que temos feito dele. Será se temos ocultado, maquiado só para ter números? Para agradar a homens? Será se temos usado a graça como escudo e seguido um outro evangelho que diz “Tudo me é licito e tudo me convém porque tenho a graça? ” O Evangelho enfim é o anuncio das boas novas, e isso significa a volta de Cristo, e se ele não for para nos corrigir o tempo todo nessa terra, como então herdaremos o reino que é Santo? Não temos como tapar o sol com a peneira literalmente nesse caso. O sol da justiça precisa resplandecer em nós e a luz do seu Evangelho também, tal como ele é para assim ser anunciado.

“Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” (Mateus 5:16)

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (João 16:33)

“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15).




Jackeline Matos

"Para publicar com voz de louvor, e compartilhar todas as Tuas maravilhas. Salmos 26:7 "